O que estamos a ler (Dez. 2011)
Estamos a ler o conto de António Torrado «O bolo-rei».
Com este conto simples, vamos fazer:
- Reconstrução de texto (produção de texto dramático, adaptado);
- Reconstrução criativa;
- Mapa semântico;
. Texto instrucional (receita de bolo-rei).
Lê AQUI o conto de António Torrado
O ANJO VAIDOSO

No dia em que Jesus nasceu, um anjo esteve a discutir com os pais de Jesus sobre quem era mais importante. Eles estavam em casa de um menino chamado João.

- Eu sou mais importante, porque estou a iluminar Jesus. - disse o anjo.
- Nós é que somos, porque somos os pais do Menino Jesus. - disseram ao mesmo tempo José e Maria.
- Eu é que sou! - insistiu o anjo.
- Não, nós é que somos! - exclamaram os pais de Jesus.
E ficaram naquela discussão. Nesse momento, apareceu o João, que ia ver televisão. O menino, sem querer, bateu no anjo, atirando-o ao chão.
O anjo compreendeu como era frágil e nunca mais se achou mais importante do que os outros.

(Gonçalo Vilela)

A figura mais importante
Era uma vez um anjo, um burro e Maria, que pertenciam a um presépio. O anjo achava-se o melhor, o mais importante.
- Eu é que dou luz. Sem mim, o mundo era uma escuridão.
O burro também pensava que era o melhor.
- Eu é que aqueço o menino Jesus, com os meus pelos fofos. Por isso, sou o melhor.
Finalmente, Maria falou, dizendo:
- Eu é que sou importante, porque dei à luz o menino Jesus,
Passado algum tempo, apareceram duas crianças e puseram-se a brincar à volta do presépio. De repente, uma das crianças desequilibrou-se e tocou no presépio, partindo o burro e o anjo. Só ficou Maria, realmente, a figura mais importante dos três.
(Leonor Malaguerra)

O ANJO CONVENCIDO

No dia de natal, um anjo achava que era o melhor, porque anunciava que o menino Jesus ia nascer.
Os reis magos estavam a chegar e traziam ouro, incenso e mirra, para oferecer ao menino. O anjo pensou que os presentes eram para ele. Os reis magos aproxinaram-se  do menino e deram-lhe os presentes.
O anjo aprendeu a lição e, agora, sabe que Jesus é mais importante do que ele.
(Inês Sofia)

O QUE ESTAMOS A LER (dez. 2011)
Esta semana vamos trabalhar
esta obra de Alice Cardoso.
A escritora vem a Ovar,
a convite da nossa escola.
Se quiser adquirir este livro,
CLIQUE AQUI.


Exercícios para preparar a ficha de avaliação de MAT



Atividades da escola, no natal

 1. NATAL SOLIDÁRIO: “Faça uma criança feliz … doe um brinquedo/livro usado.”
Neste Natal, a escola dos Combatentes está empenhada em recolher o máximo de brinquedos/livros, para distribuir por crianças menos favorecidas, através da Cruz Vermelha de Ovar.
Contribua com um brinquedo/ livro usado e faça brotar um sorriso.


 2. MENSAGEM DE NATAL: Neste fim de semana (19/11), cada criança deve elaborar uma mensagem de Natal. Essa mensagem deve ser de esperança, de felicidade, de AMOR, em suma, de espírito natalício. Máximo de linhas: prosa, 5 linhas; poesia: 12 linhas.

 3. CANTAR DOS REIS: Estão a decorrer os ensaios desta tradição tão enraizada em Ovar. As reiseiras da turma são: Gabriela (cantora imprescindível, de acordo com as responsáveis da atividade), a Inês e a Leonor.

 4. ÁRVORE DE NATAL (a montar no recreio):
O Natal está a chegar… e a nossa a árvore queremos enfeitar.
 Participa na decoração da árvore de Natal da escola construindo um enfeite com materiais reciclados por exemplo sacos de plásticos, garrafas de plástico, garrafas de iogurtes, copos de café, palhas de leite, bolas de plástico de brindes, CD estragados, etc… materiais que sejam resistentes à chuva e ao vento.

Todos os trabalhos devem ser entregues até ao dia 2 de Dezembro.
Participa para que a nossa árvore fique linda.



Magnetismo no 2.º D

Jogo de natal, com magnetes.

O que é atraído por um magnete?
Hoje fizemos um jogo de pesca, com ímanes e decorações de natal.
Material utilizado: Decorações variadas de natal (bolas, sinos, renas, etc.), magnetes (ímanes), 2 canas de pesca a fingir e clipes.
Preparação: Desenhámos, pintámos e recortámos os objetos decorativos;
Escrevemos um número em cada objeto (o mesmo número para a mesma categoria), a pensar já em cálculos, tratamento de dados (gráficos…);
Colocámos um clip agarrado a cada objeto decorativo;
Formámos 2 equipas e fomos à pesca.
DATA: 2.a quinzena de Novembro de 2011
 

Para estudares mais, CLICA AQUI



ACRÓSTICO
   Mensagem de paz – Gabi 
Que todas as pessoas do mundo sejam amigas de todos
e que vivam com Amizade, Amor e Harmonia. Que se respeitem umas às outras.
  Mensagem de paz – Beatriz Filipa 
Quero desejar a paz. Sejam amigos e saibam perdoar.
Devem dar carinhos uns aos outros. Estejam em união. O amor é bonito.
Mensagem de paz – Ana Isabel (PROSA), em 21-11-2011 
Desejo muita alegria e paz para todas as crianças.
Faço votos de amor e paz e que todas as crianças possam crescer num mundo melhor
e com tudo a que têm direito.

  Mensagem  -  Sara   em 21-11-2011
Quero que todos sejam alegres e felizes.
Também desejo que as pessoas se deem bem,
porque todos juntos conseguimos  resolver os problemas.

 Mensagem – Bruno Filipe Pode   em 21-11-2011
Desejo que não haja guerra
e que todos tenham bom coração.
Não vão para a guerra. Felicidades, meus amigos.

  Mensagem – Gonçalo Vilela 
A todos os soldados e países que lutam, baixem as armas
 e abram os corações.
Acabem com a guerra e façam a paz.

  Mensagem - Leonor   em 21-11-2011
A melhor mensagem de natal é aquela que sai do silêncio do nosso coração
e aquece com ternura os corações
daqueles que nos acompanham na nossa caminhada pela vida.
Exaltemos o Amor, a Família, a Paz, a Solidariedade
e deixemo-nos contagiar pela alegria das crianças.

  Mensagem - Nuno Gomes  em 21-11-2011
Temos de ajudar o próximo. Ser amigos de todos.
Com o Amor, fazemos a paz do mundo.
NOTA: De entre todas as mensagens, será selecionada uma,
para os cartões de Natal que iremos fazer.

POEMA de NATAL

Com um lápis desenhei:
A felicidade, a bondade,
O amor e a lealdade.
Com uma borracha apaguei:
O ódio, a guerra, a mentira e o sofrimento.
Com uma moeda comprei:
Alimentos para quem tinha fome,
Roupa para quem tinha frio,
E um lar para quem não tinha abrigo.
Com a felicidade do meu sonho,
Desenhei o desejado,
Apaguei o errado
E fiz sorrir.

(sugestão para te inspirares)

 
Mensagem de natal: Para elaborares a tua mensagem, podes escrever um texto em prosa ou em POESIA. Para te inspirar, ofereço-te esta poesia.
Sugiro " Ser solidário"; "Natal é..."; "Palavras de Paz"; (...).
Nota: A tua poesia não pode ultrapassar 12 linhas. Entregar ao professor na semana de 21-24 NOV

Prazo de validade (18 NOV)

Panquecas
Bruno
13-12-2011
Pacote (leite)
Bruno
18-02-2012
Leite (chocolate)
Ana
07-04-2012
Iogurte
Diogo
28 NOV
Iogurte
Beatriz
24 / 11
Sumo
Hugo
10 / 2012
Iogurte
Gonçalo
05 - DEZ

Ciências Experimentais
Atividade experimental: Enchemos 2 frascos com leite e colocámos um no frigorífico e outro ao ar livre.
Questão-Problema: «O que acontecerá ao leite dos dois frascos?»

 
1.ª observação
2.ª observação
3.ª observação
4.ª observação
Frasco A
 23 NOV
 
 
 
Frasco B
 23 NOV
 
 
 

Os nossos pequenos escritores


 O menino mentiroso
Um dia, um menino chamado Bruno mentiu aos pais, dizendo que estava uma aranha no teto do quarto e os pais assustaram-se. Então, disseram-lhe que nunca mais acreditavam nele.
Passado algum tempo, o Bruno olhou para o teto e viu mesmo uma aranha muito grande.
- Está uma tarântula no teto! SOCORRO!!! - gritou ele, cheio de medo.
Mas os pais não acreditaram e não foram ajudá-lo.
O Bruno ficou muito arrependido de ter mentido e aprendeu a lição. Os pais passaram a acreditar no filho, que prometeu nunca mais mentir. (Sara, em 18 NOV)

O rapaz mentiroso
Certo dia, andava um rapaz muito mentiroso a passear pelo campo e pôs-se a gritar: «Fogo! Ajudem!». Os bombeiros foram a correr, mas quando chegaram ao campo, não havia fogo nenhum. O menino riu... riu... .
No dia seguinte, foi outra vez ao campo. Quando lá chegou, pôs-se a gritar de novo: «Socorro! O campo está a arder!» Os bombeiros acudiram de imediato, mas quando lá chegaram não havia nada. O rapaz riu, riu.
Passados alguns dias, o campo começou mesmo a arder. Ele começou a gritar:
- O campo está a arder!
Mas ninguém acreditou e ele quase que se ia queimando. Então, o rapaz nunca mais mentiu.
E é por isso que não se deve mentir. (Gonçalo Vilela, em 18 NOV)



Problema de natal
  Uma árvore de Natal tinha 200 lâmpadas mas fundiram-se 12. Quantas lâmpadas ficaram acesas?  

  Sugestões:
 Comprei 4 conjuntos de luzinhas de natal, com 20 lâmpadas cada um. Fundiram-se 9. Quantas ficaram acesas?
 (Este problema deve ser antecedido pelo anterior; depois, deve ser seguida a estrtégia que sugiro no menu pendente, que  passo a apresentar):


  VER: Problema das bolas douradas (inventado pelo Gonçalo Vilela).
  VER:  Problemas de nataal  (escolovar.org).


Problema das 2 árvores de natal

 1. ÁRVORES DE NATAL (aula de 18-11)):
Numa escola, havia 2 árvores de natal (A e B), cada uma com 150 luzinhas. Fundiram-se 12 lâmpadas da árvore A e 25 da árvore B.
Pergunta: Quantas luzinhas continuaram a piscar, ao todo?
(Copia este problema no caderno de casa; desenha 2 árvores - A e B - e desenvolve pelo menos 1 estratégia.)

Problema do dia (luzes de natal, em 17-11-2011)

Um conjunto de luzes de natal tem 25 lâmpadas.
Quantas lâmpadas há em 4 conjuntos iguais?


TPC: Inventa outros problemas, com conjuntos de lâmpadas.
NOTAS: A estratégia à direita, na imagem, é só para um número reduzido de alunos, pois já compreendem e aplicam bem a multiplicação. A estratégia dos riscos é inútil para as crianças que sabem contar de 25 em 25.
Jogo dos antónimos
Hoje (17/11) fizemos o jogo dos antónimos.  Fizemos cartões com palavras antónimas e cada aluno ficou com um cartão. Objetivo do jogo: Encontrar a palavra antónima, ganhando o primeiro par a consegui-lo.   CLICA AQUI, para imprimires muitos cartões. Podes jogar sozinho (a), como se fosse um jogo de memória. (cartões invertidos, viras 2 e, se não corresponderem a antónimos, colocam-se novamente invertidos).
Reescreve o texto seguinte, substituindo as palavras sublinhadas pelos antónimos:
«O João foi ao restaurante e comeu uma sopa fria. Em seguida, foi com o pai ao cinema mas o filme acabou tarde. Ficou muito triste. Chegou a casa. A luz estava apagada e a sala estava muito escura. Foi um dia muito aborrecido

Texto da Beatriz Filipa (Bia): O João foi ao restaurante e comeu uma sopa quente. Em seguida, foi com o pai ao cinema mas o filme acabou cedo. Ficou muito contente. Chegou a casa. A luz estava acesa e a sala estava muito clara. Foi um dia muito divertido.

Problema inventado pelo Gonçalo Vilela, na aula de 15-11-2011

1. Três amigos, o Bruno, a Mariana e a Leonor, resolveram enfeitar um pinheiro de Natal, com 60 bolas douradas.
A Leonor colocou mais 10 bolas do que a Mariana mas o Bruno apenas colocou metade das bolas da Mariana.
P.: Quantas BOLAS colocou cada um deles na ÁRVORE?


2. Sugestões: Uma árvore de Natal tinha 200 lâmpadas mas fundiram-se 12. Quantas lâmpadas ficaram acesas? Ver mensagem de 19-11-2011.
 Canção do contrário 
Contrário, contrário
Tudo tem o seu contrário (bis)

Sim - Não
inverno - verão
noite - dia
tristeza - alegria
(Autora: Ana Faria - Queijinhos frescos)
Aprendeste esta canção esta semana. Ela está cheia de palavras antónimas, quer dizer, de palavras com significado contrário ou oposto.   Clica nas imagens abaixo.

.
     
  
           

Tabuada de multiplicar por 2 (x2)

Estivemos a estudar a importância da multiplicação.  REPARA:
a)  2+2+2+2+2+2 = 12  (São muitas parcelas...)
b)  6x2 = 12  (é mais rápido e mais fácil).
TPC: Decora esta tabuada de multiplicar, mas não te esqueças que já aprendeste a tabuada x4.

 Para ler bem lido  
Num dia tempestuoso e frio, ia S. Martinho, valoroso soldado romano, montado no seu cavalo, quando viu um mendigo quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão, suplicante e gelada.
S. Martinho não hesitou: parou o cavalo, pousou a sua mão carinhosamente na do pobre e, com a espada, cortou ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo.
Apesar de mal agasalhado e sob chuva intensa, preparou-se para continuar o seu caminho, cheio de felicidade.
Subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou límpido e um sol de verão inundou a terra de luz e calor. Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o ato de bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nesta mesma época, interrompe por alguns dias o tempo frio. Então, o céu e a terra sorriem com a bênção dum sol quente e miraculoso. É o chamado verão de São Martinho!
TPC: Ler a lenda, tantas vezes quantas forem precisas para ultrapassar as soletrações, trocas, ... . Ler, respeitando a pontuação. Atenção aos pontos finais.
TPC: Escreve o significado das seguintes expressões: (copia no caderno)
a) S. Martinho não hesitou: ...
b) Subitamente: ...
c) a tempestade desfez-se: ...
d) o céu ficou límpido: ...

O Soldado João

Era uma vez um soldado chamado João. Vinha de sachar milho, de regar cravos, de semear couves e manjericos.
Agora, toca a marchar, de espingarda ao ombro, mochila às costas, botas de cano, farda a rigor.
Pelos campos fora, o soldado João era a vergonha dos batalhões. Trazia uma flor ao peito, punha as mãos nas algibeiras, coçava o nariz, não acertava o passo. E, para cúmulo, assobiava ou cantava modinhas da sua aldeia.
Bem lhe ralhava o sargento, o ameaçava o capitão, o castigava o general.
O soldado João continuava a marchar, feliz e desengonçado, como se fosse à feira comprar gado ou ao mercado vender feijão.
Mas tanto, tanto marchou o soldado João, que chegou à terra da guerra.
Todos os soldados carregaram as espingardas e fizeram pontaria. Mas o soldado João achou indelicado não ir cumprimentar os colegas da outra banda. Pousou a arma, saltou a trincheira, avançou estendendo a mão.
Então, os outros soldados, espantados, estenderam também a mão.


Luísa Ducla Soares / Clica AQUI, para leres o livro.
Clica AQUI, para fazeres um exercício ortográfico

— Fogo! — gritava o sargento.
— Disparem! — mandava o capitão.
— Atirem! — ordenava o general.
Mas os soldados eram tantos que demorava muito tempo a cumprimentá-los. Foi o sargento buscar o soldado João, dizendo:
— Rapaz, não te lembras de que te ensinei que a guerra é para matar? Vou pôr-te a corneteiro, já que não tens jeito para atirador.
O soldado João pegou na corneta, ei-lo a soprar, e logo o fandango ecoou pelos campos fora, convidando à dança.
Sapateava a tropa, rodopiava, batia palmas.
— Alto! — gritava o sargento.
— Basta! — mandava o capitão.
— Parem! — ordenava o general.
Arrancou o sargento a corneta ao soldado João e, zangado, explodiu:
— Vais para cozinheiro do exército. Ao menos aí não empatarás a guerra.
Mal chegou à cozinha, foi buscar café. Arrastava pelas fileiras, fumegando, o enorme panelão, apetitoso, perfumado.
Aproximava-se de cada soldado, tirava-lhe o capacete para fazer de malga, despejava-lhe uma concha de café. Amigos e inimigos, todos se deliciavam com tão inesperado pequeno-almoço.
— Ao vosso lugar! — gritava o sargento.
— A postos! — mandava o capitão.
— Perfilar! — ordenava o general.
Tiraram a panela ao soldado João, enrolaram-no numa bandeira da cruz vermelha, dizendo:
— Já não és atirador, nem corneteiro, nem cozinheiro. Daqui por diante, és enfermeiro militar.
Mal se viu na nova função, ei-lo a correr à procura de feridos. Viu um tenente com um olho negro e foi tratá-lo. Viu um furriel com uma picada de abelha e, num instante, lhe arrancou o ferrão.
Notou que os dois generais inimigos coxeavam ligeiramente, descalçou-lhes as botas e pôs-se a tirar-lhes os calos.
Então, o incrível aconteceu.
Os dois generais levantaram-se ao mesmo tempo e condecoraram-no com duas luzentes medalhas de ouro.
Como era noite, acharam que já passara o tempo da guerra, apertaram as mãos e partiram em paz.
O soldado João sete dias andou até chegar à sua aldeola, onde de novo sacha milho, rega cravos, semeia couves e manjericos.

Luísa Ducla Soares /  Clica AQUI, para leres o livro.
Clica AQUI, para fazeres um exercício ortográfico

Panquecas
Bruno
13-12-2011

Pacote (leite)
Bruno
18-02-2012

Leite (chocolate)
Ana
07-04-2012

Iogurte
Diogo
28 NOV

Iogurte
Beatriz
24 / 11

Sumo
Hugo
10 / 2011

Iogurte
Gonçalo
05 - DEZ