Ainda e sempre... NATAL!

Um trabalho em vídeo da Sara Faria Rodrigues (3.º H)

Quadro de honra

PORTUGUÊS

Sara Faria Rodrigues, Leonor Malaguerra, Gonçalo Moreira Vilela,
Gabriela Santos Figueiredo, Gonçalo Reis Leal, Joana Silva Costa
Beatriz Filipa, Beatriz Pinto, Inês Valente, Inês Freitas
Ana Raquel Conde Silva, Ana Isabel Oliv. Amaral

ESTUDO DO MEIO

Sara Rodrigues, Gonçalo Vilela, Ana Conde, Gabriela,
Gonçalo Leal, Joana Costa, Inês Valente, Leonor,
Ana Isabel, Inês Freitas
 

Afinal, o Pai Natal existe... ou não?

Na sala, gerou-se um intenso debate sobre a existência do Pai Natal.  Aqui fica uma opinião, com algum humor.

            DIPLOMA DE MÉRITO (1.º PERÍODO)

Ana Carolina Pinto Miranda

Ana Isabel Oliveira Amaral
Ana Raquel Conde Silva
Ana Raquel Dias Cabral
Andreia Sofia Oliveira Santos
Beatriz Filipa Gonçalves Fernandes
Beatriz Marques Pinto
Bruna Filipa Silva Rubim
Gabriela Santos Figueiredo
Inês Silva Valente
Inês Sofia da Cruz Freitas
Inês Sousa Leite
Joana Silva Costa
Leonor Alves Malaguerra
Sara Faria Rodrigues

Será que o Pai Natal existe?
Era noite de natal. Eu e o meu irmão estávamos sentados à beira da janela, a ver o cair da neve. Até que o meu irmão teve uma ideia.
- Vamos escrever a carta ao Pai Natal, para pormos debaixo da árvore. Assim, ele dá-nos presentes.
Como eu concordei com a ideia, fomos escrever a carta. Pegamos no lápis e começamos a escrever:
 

Quando acabamos de escrever a carta, eu sugeri:
- Porque é que estamos a escrever a carta, se o Pai Natal não existe? Na escola, ouço crianças a dizer que ele não existe!
Ficamos a pensar durante algumas horas. Depois, decidimos levantarmo-nos à meia-noite em ponto, para irmos à janela ver se o Pai Natal estava a voar com o seu trenó, no céu estrelado.
Àquela hora, a lua estava bem cheia e com uma luz brilhante. E não é que, de súbito, por detrás da lua, sai o Pai Natal no seu trenó puxado pelas renas, que tinham um nariz vermelho. Trazia um saco encarnado cheio de prendas, para dar a todas as crianças do mundo.
Abrimos a janela e gritamos:
- Pai Natal! Pai Natal!
O Pai Natal olhou para o sítio de onde lhe pareciam vir as vozes. Então apercebeu-se que duas crianças o estavam a chamar. Acenou-nos e conduziu o trenó na nossa direção.
Quando chegou junto de nós, parou o trenó e disse-nos que a sua maior alegria era ver crianças felizes, a sorrir. É por isso que o natal é mágico. OH! OH! OH!
Sara Faria Rodrigues

Casas ovarenses (OVAR - PORTUGAL)

Casas típicas de Ovar: Faz a tua casa. Clica na imagem.