Recital de POESIA

Hoje (26-04-2013) fomos à Câmara Municipal de Ovar declamar uma poesia de José Jorge Letria, intitulada «Esta Língua Portuguesa».

Fomos tão bem recebidos!
(Clica na fotografia, para veres muitas outras.)

Mais poesia... mais poetas



NOTÍCIA


NOTÍCIA

Hoje, dia oito de abril, pelas dez horas, estivemos à conversa com o escritor João Pedro Mésseder. O encontro decorreu na biblioteca Centro Escolar dos Combatentes, em Ovar.
Primeiramente, J. P. Mésseder esteve a explicar como era a vida de um escritor, no dia a dia. Depois, contou a história da galinha negra, que era uma cigana enfeitiçada. Todos estiveram com muita atenção.
Finalmente, autografou os livros da sua autoria, que as crianças tinham comprado na nossa feira do livro.

Versos e Reversos

VERSOS E REVERSOS
(A propósito de uma obra de J. P. Mésseder)

Versos e reversos

Um verso é pequenino
Pequenino e macio
Vindo do fundo do coração
Lêmo-lo com muita atenção.
 
Um reverso é o contrário do verso
É malcriado, matreiro e gabarola.
Um reverso torna um dia de sol
Num dia tempestuoso e sem alegria.
 
Um verso é uma borboleta
Uma borboleta que pousa no teu lápis
E forma uma poesia.
 
Um reverso é uma bruxa
Uma bruxa malvada
Que quando entra nos teus sonhos
Até te assusta.
 
Um verso e um reverso
São dois irmãos desavindos
Que se chateiam até dizer não.
 
São muito diferentes
E estão sempre a guerrear.
Mas isso, todos sabemos
Que eles nunca se darão bem.
Leonor Alves Malaguerra (Feito na aula)
 
VERSOS E REVERSOS
Os reversos são negativos, maus, rabugentos.
Os versos são bons, simpáticos, apaixonados.
Os reversos estão sempre desanimados, zangados,
Os versos estão sempre felizes, alegres.
Os reversos só pensam em coisas trágicas,
São preguiçosos.
Os versos só pensam em coisas boas e são estudiosos.
Passam o dia a cantar, alegremente,
Têm sonhos mágicos, juntos com fantasia.
Os reversos, pelo contrário, quando cantam,
São desafinados.
E quando sonham, sonham coisas terríveis,
Diabos!
Sara Faria Rodrigues (Feito na aula)


OITO

Oito rima com biscoito
Como canção rima com lição.
Oito é um número bonito
Sempre às voltas
Até ao infinito
De pé ou a fazer o pino
Nunca perde o tino.
Atrás dele há o sete
Que rima com dezassete
Oito mais oito são dezasseis
E acaba aqui este conto de reis.

Oito

O oito é redondo
Como uma bola
O oito é um número
Que dá para fazer contas
O oito é um boneco de neve
Sem braços, nariz ou boca
O oito é uma massa
Uma massa enrolada
Um oito de lado
Quer dizer infinito
O oito é uma serpente
Uma serpente enrolada.